Precursor

| sexta-feira, 24 de junho de 2011
No dia de São João Batista, presto minha homenagem ao padroeiro do meu Camaquã postando alguns versos que escrevi já faz tempo, um dos tantos Versos Toscos que ficaram guardados na lembrança e que hoje pedem passagem no galpão do Sábio do Mate... Espero que gostem...
Precursor
O minuano traz o inverno
Que se espalha no rincão
Hora de escapar da geada
E se chegar pro fogão
Pra cevar um mate novo
Sobre os caibros do galpão

É o sereno das manhãs
É gelo que vêm do céu
As mães agasalham os piás
E cevam mate com mel
Como um dia Maria
Mateou com Santa Isabel

As duas mães deste pampa
Que abençoam meu rincão
A doce Virgem Maria
Mãe do Divino Patrão
E a prima que na velhice
Deu ao mundo aquele João

João aquele caudilho
Primo de Nosso Senhor
Que comia lechiguanas
E que pregava o amor
Que batizou Jesus Cristo
E foi o seu precursor

Hoje em dia se faz festa
Reunindo as famílias
Pulando fogueira e brasa
A até dançando quadrilha
Pagando prenda pra o santo
O filho de Zacarias

O filho do sacerdote
Que numa tarde trigueira
Emudeceu por milagre
Feito lenda galponeira
E só falou novamente
Nesta noite da fogueira

Neste dia o Zacarias
Despertou de seu quebranto
Rompeu com voz de profeta
E cantou um belo canto
Dando este nome a João
Repleto do Espírito Santo

E o piásito virou taura
Xirú de bom coração
Se largando pelo pampa
Pregando a tal conversão
Mostrando o tempo favorável
De crer no Divino Patrão

Mas o taura pregador
Teve um destino ingrato
Uma china caborteira
Destas maulas de fato
Mandou ele ao matador
Pediu sua cabeça num prato

Isso se deu porque João
Saiu pelo mundo a pregar
Que o Cristo Divino Tropeiro
Já estava pra chegar
E que o batismo era o caminho
Pra quem quisesse se salvar

Rendo esta prece campeira
A este santo precursor
Que preparou o caminho
De Cristo Nosso Senhor
Pregando ao mundo a conversão
A santidade e o amor.

Isidro
Fonte da Imagem

1 comentários:

{ Edu Lazaro } at: 3 de julho de 2011 17:08 disse...

Sua poesia é de cultura própria que vc empresta e pega emprestado da vida de quem lê ...

 

Copyright © 2010 Sábio do Mate