Olhar da Criação

| sexta-feira, 9 de setembro de 2011
Cada amanhecer traz em si a magia dos dias, energia e vida, presentes de um criador, presentes no mundo, presentes do amor. Cada amanhecer traz consigo uma flor, à qual regamos com a água cristalina dos gestos e alimentamos com a luz de um sorriso.

A maior de todas as forças, o maior de todos os seres criou tudo o que vemos, o que somos, o que temos e o que amamos e plantou em nós a semente do amor, cada ser humano é parte de um todo que exala o mesmo perfume, o perfume da criação que, humilde e feliz, agradece ao criador a semente fecunda, a doçura dos frutos, o perfume da essência e a força contida na raiz profunda da vida.

A vida que nasce e renasce a cada segundo é semente lançada em solo fecundo, é diversidade de cores e flores a perfumar o mundo. Um mundo de sonhos onde cada semente se destina à perfeição e tem por meta a felicidade.

Algumas flores crescem, se estendem, dão frutos e, por eles, novas sementes. Outras flores carregam consigo um sabor de vida, um perfume que brota da alma e encanta os sentidos e completa os destinos de plena esperança.

Entre as flores mais belas se encontram aquelas que vemos, que cremos, que amamos e que sabemos, contentam-se em viver a beleza das pétalas, das folhas, sem, no entanto, negar a simplicidade nutriente da luz.

Mãos hábeis criaram as flores e as vidas, olhos calmos plantaram sementes de luz em um mundo que busca a paz e que ergue a voz agradecendo ao Ser Criador que, neste mundo, imenso jardim de flor, plantou o brilho mais forte, o sol que aquece as sementes, a água que é vida em vertente e o perfume suave do amor.

Dom Isidro

2 comentários:

{ Isidro } at: 9 de setembro de 2011 09:51 disse...

Será o perfume das flores que atrai as borboletas...

{ Du } at: 12 de setembro de 2011 10:05 disse...

Bonito texto Vítor, só acho que a felicidade não deve ser uma meta a ser atingida, deve ser muito antes pelo contrário, o caminho a ser percorrido. Quando vivemos a vida em busca da felicidade, sempre nos falta algo, nos sentimos seres incompletos em busca de "outra metade" que satisfaça nossas carências, acho que me entendes...

Só seremos felizes quando fomos, sozinhos, seres completos. Acredito mesmo que a felicidade está nas pequenas coisas do dia a dia, no sol que nasce sem pedir licença, no cheiro da chuva quando cai na grama, no sorriso sincero das crianças, na nossa vontade em querer ajudar de alguma forma outros seres tão humanos quanto nós. A felicidade é o caminho, não o destino. Pode parecer clichê, mas é bem por aí.

Beijo!

 

Copyright © 2010 Sábio do Mate